Candidaturas INOV Contacto arrancam em setembro para estágios internacionais remunerados

Candidaturas Inov Contacto

As candidaturas INOV Contacto abrem em setembro próximo. Este programa destinado aos mais jovens abre a porta a estágios internacionais remunerados e a um emprego.

Os estágios INOV Contacto são para jovens com formação superior e permitem fazer estágios internacionais remunerados. As candidaturas à 25ª edição do programa vão decorrer de 15 a 30 de setembro próximo.

Assim, estão em causa 200 estágios remunerados para todas as áreas de formação, com uma duração que pode ir de 6 a 9 meses.

Mas os estágios só deverão arrancar em janeiro de 2022, embora ainda seja preciso confirmar esse dado devido à pandemia de covid-19.

Requisitos das candidaturas ao INOV Contacto

Para concorrer a este programa de estágios é preciso cumprir os seguintes requisitos:

  • Jovens até aos 29 anos que não estejam a trabalhar, nem a estudar à data do estágio
  • Formação superior em qualquer área
  • Domínio do Inglês
  • Desejo de ter uma carreira internacional
  • Disponibilidade para viver no estrangeiro.

Aproveita e Descobre os melhores cursos de Inglês online

47% dos estagiários conseguem emprego

O INOV Contacto é um programa de estágios internacionais gerido pela AICEP Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.

A iniciativa é financiada com fundos europeus e já acolheu cerca de seis mil estágios, em quase 1300 empresas, em mais de 80 países diferentes. Mas a grande mais-valia do programa é a forma como aumenta as possibilidades de emprego para os participantes.

A AICEP revela que “47% dos jovens que integram o INOV Contacto conseguem uma oferta de emprego à saída do estágio”. Contudo, “a taxa de empregabilidade após seis meses é de 75%”, de acordo com a mesma entidade.

Por outro lado, “a taxa de satisfação dos estagiários e empresas durante o estágio, é de 95%”, ainda segundo a AICEP. Portanto, a tendência é para acreditar que o INOV Contacto contribui para o “enriquecimento de competências”.

Artigo redigido com base em informações de comunicado da AICEP Portugal Global.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top