Como encontrar casas para estudantes? Espreita 6 soluções de alojamento

Casas para estudantes

Estás à procura de casas para estudantes agora que já sabes em que Universidade entraste? Essa busca não tem de ser uma dor de cabeça. Há alternativas em conta e até gratuitas, como te vamos contar…

Já sabes em que Universidade ficaste colocado? Agora é hora de encontrar a casa certa para teres uma aventura tranquila com foco total nos estudos – com alguma diversão pelo meio.

Entrar na Universidade significa para muitos jovens estudantes mudar de cidade. Isso obriga a procurar uma nova casa. Muitos buscam um lugar com amigos, para dividir despesas, enquanto outros são obrigados a ficar-se por um quarto em casas de desconhecidos.

Mas há outras alternativas, embora as possibilidades de escolha estejam muito limitadas devido aos preços elevados do arrendamento. Por outro lado, há também uma falta de oferta de habitações para acolher os jovens universitários.

Assim, essa busca pode exigir algumas dores de cabeça e muito tempo! Para ajudar-te nesse processo, vamos partilhar contigo algumas soluções de alojamento para universitários que têm um orçamento limitado para gastar. Vem daí!

6 alternativas de casas para estudantes

Atualmente, como em todo o tipo de procuras, o instinto de pais e de jovens caloiros é irem à Internet pesquisar casas para estudantes. E essa é uma das melhores formas de chegar a boas alternativas.

Contudo, há tanta informação no “infinito mundo” do World Wide Web que até essa busca pode ser complicada.

Deste modo, vamos resumir-te aqui as melhores soluções de alojamento para estudantes, desde as mais evidentes até algumas alternativas bem interessantes e menos comuns.

Residências Universitárias Públicas

Estas são residências públicas e, portanto, a preços acessíveis, mas acolhem, preferencialmente, estudantes com dificuldades financeiras. Assim, as vagas são reduzidas e não chegam para todos os universitários deslocados.

A entrada nestas residências é feita por candidatura e os alunos bolseiros têm prioridade no acesso.

Os preços muito convidativos das mensalidades, que incluem já despesas com água e electricidade, promovem muita procura para poucos lugares – até porque muitos dos residentes que passam de anos anteriores mantêm-se nas residências.

Uma desvantagem para alguns jovens pode ser o facto de os quartos serem, habitualmente, partilhados por dois ou três estudantes. Mas, em compensação, são ótimos locais para fazer amigos e fortalecer laços de pertença.

Para te candidatares, procura informação no site da Universidade onde entraste. Em alguns casos, será possível apresentar a candidatura online.

Residências Universitárias Privadas

Estas são residências para estudantes que são geridas por entidades privadas, exigindo preços bastante mais altos. Mas também garantem melhores condições gerais de alojamento.

Há já várias opções destas no mercado, face ao problema do alojamento que os universitários enfrentam. Contudo, continuam a nascer mais projetos, o que pode ajudar a baixar os preços nos próximos anos.

As Residências Montepio U Live existem em cidades como Lisboa, Porto, Braga e Évora e oferecem alojamentos partilhados ou individuais. Apetrechadas com salas de convívio, cozinha, lavandaria e Wi Fi gratuito, podem incluir serviços como limpeza diária.

Os associados da Associação Mutualista Montepio (AMM) beneficiam de 10% de desconto nas mensalidades nestas Residências.

Mas em Lisboa e no Porto, há ainda as SPRU Residências Universitárias que têm quartos e estúdios, individuais ou duplos, bem como apartamentos T0 para duas pessoas, para acolher estudantes.

Já a Residência Universitária COFRE, gerida pelo Cofre de Previdência dos Funcionários e Agentes do Estado, só acolhe estudantes associados, também na capital.

Para quem pode pagar um pouco mais, existe ainda, em Lisboa, a Collegiate que oferece um alojamento de “luxo” que inclui piscina, cinema, sala de fitness, um lounge com sala de jantar e biblioteca. Tem ainda um estúdio penthouse, situado no topo do edifício e com terraço, que custa mais de 1600 euros por mês.

Mas existem outras residências universitárias privadas. Basta fazeres uma pesquisa na Internet e terás acesso a todos os dados de que precisas.

Repúblicas

Viver numa República é uma excelente solução de alojamento para estudantes que não se importam de partilhar espaços. É uma alternativa tradicional que só existe em algumas cidades – Coimbra é onde existem mais devido à sua grande tradição universitária.

Na verdade, uma República é uma casa para estudantes que é partilhada, com as despesas divididas e regras próprias. Estes espaços têm fortes tradições académicas e são uma das soluções de residência para estudantes mais barata.

Além disso, são excelentes para conhecer pessoas e para fazer amizades, bem como para criar lembranças memoráveis da Universidade.

Podes encontrar informação sobre estas Repúblicas nos placards da tua Universidade, onde costumam ser divulgadas.

Alojamento para estudantes

Protocolos de Alojamento

Há camas disponíveis para estudantes em pousadas, hostels, hotéis e alojamentos locais no âmbito de protocolos de alojamento assinados entre o Estado e o setor do Turismo.

Trata-se de uma opção que visa fazer face à falta de oferta de casas para estudantes a preços acessíveis. Aliás, para te candidatares a esta solução, deves concorrer primeiro a alojamento em residência universitária pública. Só se não tiveres vaga, ou se não houver residência, é que poderás ter acesso a estes espaços no âmbito dos protocolos definidos.

Os Serviços de Ação Social da tua Universidade podem dar-te informações sobre esta solução de alojamento para estudantes. Mas também podes contactar as unidades de alojamento que tenham aderido a estes protocolos diretamente.

É uma solução que se destina tanto a alunos bolseiros como não bolseiros, desde que estejam inscritos, matriculados e a frequentar uma Universidade pública ou privada.

Podes consultar toda a informação necessária sobre estes Protocolos de Alojamento no site da Direção Geral do Ensino Superior (DGES).

Alojamento Universitário Solidário e Gratuito

Há várias Câmaras Municipais, de norte a sul do país, que promovem programas solidários para combater a solidão nos idosos. Assim, estes acolhem jovens universitários nas suas casas. É uma ótima forma de fazer o bem em troca de alojamento gratuito.

Além disso, o convívio com pessoas mais velhas permite um enriquecimento pessoal e social importante. E ajuda a desenvolver competências interpessoais que são, atualmente, muito valorizadas pelos empregadores.

Alojamento solidário para estudantes

No Porto, por exemplo, existe o programa Aconchego com o lema “Casa para quem estuda, companhia para quem precisa”.

Os idosos com mais de 60 anos, residentes no concelho do Porto, podem candidatar-se a receber jovens universitários em suas casas. Mas, para isso, devem ter condições para os receber.

Já os estudantes devem ter até 35 anos e não ser residentes no Porto.

No sul do país, existe o Faro Acolhe, uma parceria entre a Câmara local e a Universidade do Algarve para alojar jovens universitários deslocados em casas de idosos do concelho.

Neste caso, também os idosos devem ter condições para acolher os estudantes, nomeadamente um quarto individual mobilado, casa de banho completa e com água quente, e cozinha para preparar refeições.

Em Évora, existe o projeto Laços para a Vida – Casa & Companhia que, além de combater a solidão dos idosos com o alojamento de estudantes, também pretende revitalizar o centro histórico da cidade.

Este projeto funciona da mesma forma, com os idosos a acolherem os estudantes nas suas casas e com estes a comprometerem-se a oferecer apoio e companhia.

Em Santarém, o programa chama-se Quarto Crescente e aponta também à “troca de experiências entre gerações”, além de garantir “companhia” para o idoso e “redução das despesas de alojamento para o estudante”.

Podes obter mais informações sobre este programa através do email [email protected]

Partilhar casa ou arrendar um quarto

Para lá das casas para estudantes apresentadas, existe sempre a possibilidade de encontrar um quarto numa casa, ou de arrendar um apartamento com amigos ou colegas.

Esta solução pode ser complicada em algumas cidades, seja pela falta de oferta de imóveis para arrendar, seja devido aos preços muito elevados.

Mas há sites na Internet onde podes pesquisar este tipo de alojamento, por exemplo, a plataforma Uniplaces que se dedica apenas à divulgação de casas para estudantes.

Neste tipo de alternativas é preciso dividir o espaço com outras pessoas, bem como as contas e algumas tarefas, como a limpeza dos espaços comuns. Mas é sempre uma ótima experiência e uma habituação à “vida adulta”.

Apoio do Porta 65 Jovem

E, neste caso, também podes concorrer ao programa Porta 65 Jovem que apoia jovens que arrendem uma casa com idades entre os 18 e os 35 anos.

Este apoio ajuda a pagar uma percentagem da renda que pode ir dos 30 aos 50% do valor durante os primeiros doze meses.

Este programa também se destina a estudantes de cursos de formação profissional, mas exige um contrato de arrendamento.

Tem atenção às datas de apresentação das candidaturas ao Porta 65 Jovem que estão a decorrer até às 17 horas de 30 de setembro de 2022.

Podes apresentar a tua candidatura aqui, bem como encontrar as informações de que precisas, incluindo um simulador do valor do apoio que poderás receber.

Como encontrar a melhor solução de alojamento para estudantes?

A listagem das alternativas de casas para estudantes que te apresentamos acima é um bom ponto de partida para começares. Mas, além disso, deves ter em mente outros detalhes na hora de começares a tua busca.

Em primeiro lugar, procura informar-te da realidade que podes encontrar na cidade para onde vais estudar.

O Observatório Digital do Alojamento Estudantil dá-te uma boa ideia dos preços médios praticados, bem como do número de quartos disponíveis em cada canto do país.

Assim, quando fores para o terreno estarás ciente do que podes esperar. Mas, além disso, fica ainda com esta check-list do que deves fazer para encontrar a melhor solução de alojamento para ti:

  1. Define um valor máximo mensal de quanto podes/esperas gastar.
  2. Escolhe a localização ideal, considerando se tens ou não carro próprio, se há transportes públicos perto e quanto custam.
  3. Decide se queres partilhar espaço com outras pessoas, ou se preferes ficar sozinho.
  4. Se tiveres/quiseres dividir casa com outros estudantes, define de antemão algumas das regras/condições que serão essenciais para o teu bem-estar.
  5. Em caso de arrendamento de casa ou quarto, visita o imóvel e esclarece todas as dúvidas antes de te comprometeres com o arrendatário.
  6. Se vais arrendar casa para estudante, exige um contrato de arrendamento, pois este é essencial para pedir apoios e também para incluir as despesas no IRS.
  7. Quando chegares à tua nova casa, faz um inventário dos móveis e do que lá se encontra, tirando fotografias que indiquem as condições do espaço.

Com estas dicas em mãos, estarás mais preparado para encontrar a casa certa para que a tua experiência universitária comece da melhor forma.

Nestes tempos, encontrar casas para estudantes pode não ser fácil. Mas, como em tudo, é uma questão de persistência e de um pouco de sorte. Que a força esteja contigo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima