Cursos remunerados para desempregados: quanto se recebe e onde os encontrar

Cursos remunerados para desempregados

Se procuras cursos remunerados para desempregados, vê aqui onde os podes encontrar e quanto se recebe por os frequentar…

O mercado de trabalho é cada vez mais competitivo e, por isso, só os mais qualificados têm acesso às melhores oportunidades. Assim, os cursos remunerados para desempregados trazem “o melhor de dois mundos”!

Por um lado, estes cursos permitem continuar a ter algum rendimento, para pagar as contas, enquanto não se encontra um novo emprego.

E, por outro lado, garantem a obtenção de novas competências e de melhores qualificações, o que pode ser determinante para agarrar uma vaga no mercado laboral.

Fica a saber mais sobre estes cursos lendo o que se segue…

Onde encontrar cursos remunerados para desempregados?

Há instituições bem conhecidas que têm uma oferta interessante de cursos remunerados para desempregados, com foco na reentrada destas pessoas no mercado de trabalho.

A formação é um motor essencial para que isso aconteça, seja para atualizar conhecimentos, seja para desenvolver uma nova profissão ou para entrar numa área profissional diferente.

Assim, vamos indicar-te os principais locais onde podes procurar cursos remunerados para desempregados…

IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional

O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) é o local privilegiado para começares a tua procura, pois trata-se da entidade que tem maior oferta neste âmbito.

Podes começar a tua busca pelo site do IEFP, fazendo pesquisas por oferta de formação, área geográfica, área profissional, requisitos, condições e até data de início do curso.

Mas também podes deslocar-te ao serviço físico mais próximo do IEFP na tua área de residência, para pedires informações.

Portal Qualifica

O Programa Qualifica, criado pelo Estado português, dirige-se a adultos que pretendem melhorar o seu nível de formação, de modo a conseguirem melhores qualificações para o mercado de trabalho.

Neste âmbito, existe o Portal Qualifica que permite aceder a informação sobre os chamados “Centros Qualifica”.

Estes centros que existem de norte a sul do país são especializados na qualificação para adultos e são promovidos por entidades que vão desde o IEFP às Câmaras Municipais, passando por empresas e associações empresariais, entre outras.

As formações são “desenhadas” de acordo com o perfil de cada pessoa, bem como tendo em conta as suas expetativas em termos profissionais.

ANQEP – Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional

A Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) é um excelente ponto de partida para quem não sabe muito o tipo de formação de que precisa, pois permite definir o percurso formativo ideal para cada caso.

Assim, podes registar as tuas qualificações e competências já adquiridas para definires um percurso de aprendizagem que te leve onde queres chegar.

A ANQEP tem vários parceiros públicos e privados que ajudam a disponibilizar vários cursos remunerados para desempregados que podem ir desde o nível básico, do 5º ao 9º anos, até ao 12º ano.

Mas existem ainda opções para acreditação profissional, a Formação Modular Certificada, ou os cursos de Formação de Adultos.

Portal Oferta Formativa

Esta plataforma tecnológica que foi desenvolvido pela Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) permite também pesquisar a oferta formativa existente em Portugal.

O portal Oferta Formativa visa oferecer ao público, num mesmo local, todos os dados de que precisa sobre os cursos e formações existentes nos diferentes níveis de ensino.

ATEC – Academia de Formação

A ATEC é uma Academia de Formação que promove cursos de formação profissional financiados para jovens e adultos, tanto para desempregados como para empregados ativos.

Nasceu no âmbito de um projeto de um consórcio de empresas composto por Volkswagen Autoeuropa, Siemens, Bosch Termotecnologia, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã.

O seu aparecimento visou responder a necessidades de trabalhadores qualificados por parte destas empresas das áreas Automóvel e Eletrónica.

Os cursos promovidos pela ATEC assentam na metodologia DUAL que tem uma forte componente prática, o que constitui uma mais-valia para a entrada no mercado de trabalho.

Trata-se de uma entidade formadora certificada que mantém acordos de cooperação com o IEFP.

Quanto se recebe nos cursos remunerados para desempregados?

Nestes cursos, o pagamento é feito em forma de bolsas, isto é, de apoios sociais para ajudar a pagar gastos importantes relacionados com os estudos.

Assim, estes pagamentos podem incluir:

  • Subsídio de alimentação
  • Subsídio de transporte
  • Apoio para material de estudo
  • Bolsa de profissionalização ou de formação.

Mas os pagamentos, bem como os valores, dependem muito do tipo de cursos e das entidades formadoras.

Cheque Formação

Em termos de apoios pagos para o desenvolvimento de qualificações existe ainda o Cheque Formação. Trata-se de um apoio direto à formação que se destina a todos os inscritos nos Centros de Emprego e de Formação Profissional do IEFP.

Neste caso, portanto, os destinatários não são apenas os desempregados, mas também os empregados e ainda as entidades empregadoras.

No caso dos empregados, o apoio é de 4 horas por hora, num montante máximo de 175 euros, não podendo exceder 90% do valor total da formação. A formação deve ter uma duração máxima de 50 horas num período de dois anos.

Para os desempregados, o apoio paga a totalidade da formação até um montante máximo de 500 euros. Além disso, podem ainda beneficiar do pagamento de bolsa de formação, subsídio de refeição e de transporte quando estes não sejam pagos pela entidade formadora.

Cada pessoa só pode ter direito ao Cheque-Formação por um período de 2 anos.

Quem tem direito?

O acesso ao Cheque-Formação destina-se a:

  • Ativos empregados com 16 anos ou mais com qualquer grau de qualificação
  • Desempregados inscritos no IEFP há, pelo menos, 90 dias seguidos, com 16 anos ou mais, com os níveis 3 a 6 de qualificação.

Em caso de cidadãos estrangeiros a residir em Portugal, no caso de ser preciso o reconhecimento do grau académico ou de qualificação, este deve ser feito ao abrigo da legislação e dos procedimentos em vigor.

De notar ainda que os desempregados precisam de continuar a procura ativa de emprego mesmo durante o período da formação.

A candidatura a este apoio pode ser feita pelos beneficiários diretos da formação, ou pelas entidades empregadoras.

Mas é obrigatório que a formação profissional a frequentar seja de uma Entidade Formadora Certificada pela Direcção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho.

Que tipos de cursos remunerados para desempregados existem?

Há vários tipos de formações financiadas que têm como público-alvo os desempregados e não só. Vamos falar-te aqui das seguintes:

  • Cursos EFA – Educação e Formação de Adultos
  • Formação Modular Certificada
  • Cursos de Aprendizagem
  • Cursos CET – Especialização Tecnológica
  • Cursos Profissionais
  • Cursos Vida Ativa.

Vamos, então, abordar um pouco as características de cada um destes tipos de formação…

Cursos EFA

São cursos de Educação e Formação para Adultos, daí a sigla EFA, que se destinam a aumentar as qualificações dos cidadãos. Trata-se, portanto, de aumentar as habilitações escolares e profissionais de modo a aumentar as possibilidades de encontrar um emprego.

Têm como alvo pessoas com 18 anos ou mais e habilitações escolares entre menos de 4 anos até 12 anos.

Há vários tipos de cursos EFA conforme as habilitações escolares dos candidatos. A certificação obtida situa-se, assim, nos seguintes níveis: 4.º, 6.º, 9.º e 12.º anos de escolaridade.

Formação Modular Certificada

A Formação Modular Certificada abrange outro tipo de cursos remunerados para desempregados que tem como objetivo atualizar e aperfeiçoar conhecimentos.

Destina-se, também, a pessoas com 18 anos ou mais, estejam elas desempregadas ou empregadas, e que tenham como intenção a melhoria das suas competências.

Atualmente, além das ofertas de formação modular em regime presencial, há também opções para estudo online que são financiadas.

Cursos de Aprendizagem

Estes Cursos de Aprendizagem destinam-se a melhorar as qualificações de jovens e adultos, com idades até aos 29 anos, que tenham o 9.º ano de escolaridade, isto é, sem o Ensino Secundário concluído.

Mais uma vez, trata-se de aumentar as hipóteses de encontrar um emprego através de uma melhoria de competências.

Estes cursos duram, em média, cerca de 2 anos e meio e garantem a conclusão do Ensino Secundário, ou seja, do 12º ano de escolaridade.

Existem ainda os Cursos de Aprendizagem+ que se destinam a jovens entre os 18 e os 29 anos que tenham um curso do Ensino Secundário, ou um diploma de especialização tecnológica ou do Ensino Superior.

Mas também se destinam a jovens que tenham um nível básico de educação e que estejam a frequentar alguma formação no âmbito de competências de nível secundário.

Os Cursos de Aprendizagem+ têm uma duração média de cerca de um ano.

Cursos CET

Os Cursos CET, ou de Especialização Tecnológica, garantem uma formação pós-secundária, mas não superior. Surgiram para dar resposta a necessidades do mercado de trabalho, destinando-se a pessoas com 18 ou mais anos que tenham:

  • Curso do Ensino Secundário ou habilitação equivalente
  • Diploma de Especialização Tecnológica ou do Ensino Superior, ou certificado de nível 5 de qualificação do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ)
  • Nível básico de educação e que frequentem uma formação de competências de nível Secundário.

Estes cursos CET têm duração média entre um ano e um ano e meio, permitindo ainda o acesso ao Ensino Superior através de concurso especial.

Cursos Profissionais

Os cursos profissionais destinam-se a jovens com idade inferior a 20 anos que tenham o 9º ano completo, ou equivalente.

Trata-se de uma formação mais prática e mais virada para o mercado laboral, e alguns cursos profissionais têm garantia de emprego logo após a conclusão.

Este tipo de formação dá equivalência ao 12º ano e, por isso, também permite o acesso ao Ensino Superior.

Cursos Vida Ativa

Os cursos Vida Ativa destinam-se a desempregados, jovens ou adultos, com 18 anos ou mais, que estejam, ou não, a receber subsídio de desemprego, quaisquer que sejam as suas habilitações escolares.

É uma formação de curta duração com o intuito de permitir o rápido regresso dos desempregados ao mercado de trabalho, tendo como principal alvo pessoas com qualificações muito baixas.

Para usufruir desta medida é preciso estar inscrito no IEFP e num Centro Qualifica, bem como ter habilitações escolares iguais ou superiores ao 4.º ano e inferiores ao 9.º ano.

Como escolher entre os cursos remunerados para desempregados?

Já vimos que cada curso implica requisitos e características específicas. Assim, cada pessoa pode ter interesse por um ou outro, conforme as suas habilitações e expetativas em termos de emprego.

Mas alguns destes cursos, como é o caso dos Profissionais e dos CET, são pensados para responder a necessidades reais do mercado de trabalho. Isto significa que podem ter boas hipóteses de empregabilidade.

Numa altura em que muitas áreas profissionais se debatem com a falta de trabalhadores, este tipo de formação acaba por ir mais ao encontro do que as empresas precisam. Repara que certos profissionais técnicos são muito necessários em diversas indústrias.

Contudo, independentemente do curso, o importante é ter em conta que a requalificação profissional é essencial, sobretudo para quem perdeu o emprego e está à procura de uma nova oportunidade.

Os cursos remunerados para desempregados têm a vantagem de garantir algum rendimento enquanto se ganha formação – com o olhar virado para o futuro, à espera daquele emprego de sonho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima